Parking News

Geral

Parcela de famílias paulistanas que admitem que não terão condição de pagar as dívidas atinge 9,1% em abril

15/05/2018


Voltar


calculadoralapis-489

Em abril, a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), registrou que 53,5% das famílias na cidade de São Paulo possuem alguma dívida, queda de 1,1 ponto porcentual (p.p.) em relação a março (54,6%). Contudo, está 0,6 p.p. acima do apresentado no mesmo mês do ano passado (52,9%). Em termos absolutos, são 2,08 milhões de famílias paulistanas endividadas, 38,4 mil a mais do que há um ano. Desse total, 9,1% admitem que não terão condições de pagar as dívidas e ficarão inadimplentes, a maior proporção para um mês de abril desde 2004.

A taxa de inadimplência – famílias que não conseguiram quitar suas dívidas na data do vencimento – ficou tecnicamente estável, passando de 19,3% em março para 19,4% em abril, o que significa que 754,5 mil famílias estão nessa situação. Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, há um ano, o porcentual era de 18,7%, ou seja, houve um acréscimo de 33,1 mil famílias inadimplentes nesse período. A parte mais significativa do atraso (50,7%) é de um período superior a 90 dias. E 24,9% estão com tempo de pagamento de curto prazo, de até 30 dias.

Os economistas da Entidade ressaltam que não há riscos de perda de controle da inadimplência, uma vez que o sistema financeiro capta possíveis movimentos de descontrole e aumenta a seletividade do crédito. Os dados do Banco Central, inclusive, mostram a elevação da taxa média de juros nos dos primeiros meses do ano, com aumento do spread. As taxas são inferiores às do ano passado, mas podem indicar que a retomada da economia não esteja no ritmo esperado.

Faixa de renda

Na análise por faixa de renda, o grupo de famílias com renda de até dez salários mínimos têm maiores taxas. Em abril, destacou-se na proporção de famílias que admitiram não ter condições de pagar as dívidas, com 11,2%, a maior da série histórica, iniciada em 2010. Para a faixa acima de dez salários mínimos, houve crescimento, mas ainda está mais baixo, 3,9%.

De acordo com a FecomercioSP, o ponto a se observar com mais atenção para os próximos meses é a faixa específica de famílias com até dez salários mínimos. Os níveis de inadimplência e de não pagamento estão elevados, o que significa que os efeitos dos dados do emprego, que vêm apresentando melhoras, não chegaram de forma mais expressiva nas classes mais baixas para que dessem uma condição mais adequada para equilibrar as contas das famílias.

Tipo de dívida

Pelo terceiro mês consecutivo, houve redução na proporção de endividados no cartão de crédito. Em abril, o porcentual passou de 73,7% em março para os 72,9% em abril, e ficou acima dos 71,5% no mesmo mês de 2017. Os carnês ficaram na segunda posição entre as modalidades mais utilizadas pelos consumidores, com 13%, 1,3 p.p. abaixo do valor apresentado no mês anterior e 0,7 p.p. dos observados há um ano. Na sequência, veio o financiamento de carro, com 11,5%.

 Metodologia

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) é apurada mensalmente pela FecomercioSP desde fevereiro de 2004. São entrevistados aproximadamente 2,2 mil consumidores na capital paulista.

O objetivo da PEIC é diagnosticar o nível de endividamento e de inadimplência do consumidor. A partir das informações coletadas, são apurados importantes indicadores: nível de endividamento, porcentual de inadimplentes, intenção de pagamento de dívidas em atraso e nível de comprometimento da renda. Tais indicadores são observados considerando duas faixas de renda.

A pesquisa permite o acompanhamento do nível de comprometimento do comprador com as dívidas e sua percepção em relação à capacidade de pagamento, fatores fundamentais para o processo de decisão dos empresários do comércio e demais agentes econômicos.

Fonte: FecomercioSP, 14 de maio de 2018


Outras matérias da edição


Estacionamentos e o crescimento macroeconômico

Por Jorge Hori* Os estacionamentos pagos, como uma atividade eco (...)


Comissão vai analisar convenção coletiva

  O Sindepark realizou ontem (14), em sua sede, reunião com os associados para tratar da convenção coletiva deste ano. Foi formada uma comissão, com representantes de várias empres (...)


Sindepark divulga a pesquisa Pinheiros – Parte 2

O Sindepark concluiu a pesquisa sobre a atividade em estacionamentos na região de Pinheiros, que foi dividida em duas (...)


Ibirapuera pode ter mais vagas e manobrista

O edital para a concessão por 35 anos do Parque do Ibirapuera e de outras cinco áreas verde (...)


Condephaat quer rever tombamento e flexibilizar uso e ocupação dos Jardins (SP)

O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico de São Paulo (...)


Estacionamentos seguem em alta (Mogi das Cruzes/SP)

As dificuldades em encontrar uma vaga na rua ou até mesmo a falta de segurança nas vias públicas fazem com q (...)


Concessão deixa pedágio mais barato em 4 praças (SP)

A partir da próxima sexta-feira (18), os preços dos pedágios ficarão mais baratos em quatro praças localizad (...)


Zona Azul recebe máquinas de pagamento por cartão (Gramado/RS)

Para oferecer mais comodidade a seus usuários, a Secretaria de Trânsito e Mobilidade Urbana de Gramado solicitou modificaç (...)


Estacionamento lidera infrações (Niterói/RJ)

O número de autuações no trânsito dispara em Niterói. Nos três primeiros meses do ano foram 11. (...)


Justiça dá gratuidade no estacionamento aos funcionários do Salvador Shopping (BA)

Funcionários do Salvador Shopping precisam pagar R$ 150 mensais para poder estacionar no centro comercial. Por esse motivo, (...)


Zona Azul é implantada para regular estacionamentos em Irecê (BA)

Os motoristas de Irecê, no Centro Norte da Bahia, passaram a contar dia 9 com o sistema de Zona Azul nos estacionamentos da c (...)


Contran divulga nova data para o uso de placas padrão Mercosul no Brasil

O Contran, Conselho Nacional de Trânsito, publicou na edição de sexta-feira, 11, do Diário Oficial da União ( (...)


Bancos liberam R$ 28,6 bilhões no 1º trimestre para financiar veículos

O total de crédito liberado pelos bancos para o financiamento de veículos atingiu R$ 28,6 bilhões no primeiro trimestre, o maior (...)


Biogás tem alto potencial de produção e uso no Brasil

A vocação do Brasil em produzir energia de fontes renováveis e de baixa emissão de CO2 poderá (...)


Cadastre a sua empresa no Sindepark

Clique Aqui