Parking News

Mundo do Automóvel

Carro flex chega aos 15 anos com 30,5 milhões de unidades

28/03/2018


Voltar


bombacombustivel-270

Há 15 anos, em 24 de março de2003, aVolkswagen do Brasil apresentava o carro flex, que pela primeira vez possibilitava o abastecimento com etanol, gasolina ou a mistura dos dois em qualquer proporção. Era um Gol com motor AP 1.6 que produzia 97 cavalos com gasolina e 99 cv com álcool. O lançamento coincidiu com a comemoração dos 50 anos da VW do Brasil.

A soma de todos os automóveis e comerciais leves bicombustíveis nacionais e importados emplacados até os dias atuais já passa de 30,5 milhões. Somente da montadora de origem alemã foram 6,7 milhões de unidades. “O sistema flex se tornou parte integrante da vida dos brasileiros”, afirma o presidente e CEO da VW para a América do Sul e Brasil, Pablo Di Si.

A VW dividiu o mérito daquele Gol com a Magneti Marelli, com a qual desenvolveu o primeiro sistema flexível em combustível.

A tecnologia que se tornou comum nos dias atuais representava bem mais que a simples liberdade de escolha na hora de abastecer naquele começo da década passada. O sistema pôs fim à dificuldade enfrentada nos anos 1980 e 1990 pelos consumidores de carros movidos exclusivamente a álcool, como falta do produto nas bombas e grandes variações de preço para cima.

No ano de lançamento, os modelos flex representaram 3,6% dos automóveis e comerciais leves emplacados no Brasil. Cinco anos depois a participação já passava a 87,2%. Passados dez anos, atingiu 88,5% das vendas totais, praticamente o mesmo nível registrado em 2017 (88,6%). Só não se aproxima mais dos 100% por causa da importância que o diesel tem entre os comerciais leves.

O futuro da tecnologia flex se apoia no fato de que a cana-de-açúcar utilizada para a produção de etanol captura gás carbônico (CO2) quando cresce, compensando as emissões desse mesmo gás pelos motores em funcionamento.

Na Conferência do Clima de Paris, a COP 21, o Brasil se comprometeu a reduzir suas emissões de CO2 em 43% até 2030 em relação aos níveis de 2005. Para isso terá de elevar a participação do biocombustível na matriz energética veicular dos atuais 30% para 50%, o que significaria ampliar a produção dos atuais 28 bilhões de litros/ano para 50 bilhões.

Antonio Megale, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), acredita que a tecnologia ainda vai conviver ao lado de outras por um bom tempo.

Fonte: Automotive Business, 26 de março de 2018


Outras matérias da edição


Mobilidade urbana: qual a tendência para os estacionamentos

Por Marcelo Gait As questões envolvendo mobilidade urbana f (...)


Primeira reunião com associados na nova sede

  No último dia 21 de março, o presidente do Sindepark, Marcelo Gait, e outros membros da Diretoria, receberam diversos associados para um breakfast, marcado para que fossem conhecer a nova se (...)


Retomada econômica deve aumentar demanda por vagas

Por Jorge Hori* Os movimentos anticarros, com grande penet (...)


Liminar põe projetos imobiliários em risco

Uma liminar concedida pelo Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo no fim de fevereiro, vetando o “direito de protoco (...)


Prefeito propõe mudar bairros e recebe crítica

Dois anos após ter sido sancionada pelo então prefeito Fernando Haddad (PT), a Lei de Parcelamento, Uso e Ocupaç&a (...)


Lei que regulamenta o transporte por aplicativos entrou em vigor

A lei que regulamenta o transporte privado de passageiros por aplicativos, como Uber e Cabify, foi publicada no "Diári (...)


CNH digital é lançada na Capital

O Governo passa a emitir gratuitamente a CNH Digital, com validade em todo o país por meio do aplicativo do Departamento Nacional de Tr&ac (...)


Denatran suspende resolução que regulamenta placas padrão Mercosul

O Denatran, Departamento Nacional de Trânsito, anunciou a suspensão, pelo prazo de 60 dias, da Resolução nº 729 (...)


Teste de sistema da Área Azul com "QR Code" começa em S. J. do Rio Preto (SP)

A fase de testes do novo sistema de cobrança pelo serviço da Área Azul em Rio Preto começou dia 26. Os fiscais passar&a (...)


Isenção não atrai empresários para estacionamentos verticais (MS)

Mesmo com 100% de isenção fiscal, tanto no Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) quanto no Impos (...)


Nova Zona Azul funciona em agosto (Fortaleza)

Após ajustes no edital - que deveria ser lançado na primeira semana de janeiro - está aberto Chamamento P& (...)


MPF faz ação contra Prefeitura por estacionamentos irregulares em São Luís, no Maranhão

  O Ministério Público Federal no Maranhão propôs ação civil pública contra o Município de São Luís por omissão de providências para (...)


Financiamento de veículos cresce 24% em um ano, aponta Banco Central

O volume de crédito para o financiamento de veículos cresceu 24,2% em um ano, considerando o resultado acumulado do (...)


Cadastre a sua empresa no Sindepark

Clique Aqui